Exercício é remédio!

Imprimir
Escrito por Instituto Bios

Há 2400 anos, Hipócrates já afirmava: "o que é utilizado, desenvolve-se, o que não é, desgasta-se…. se houver alguma deficiência de alimento e exercício, o corpo adoecerá".

Hoje , todos os estudos epidemiológicos e estatísticos demostram a veracidade das palavras do pai da medicina. A inatividade e o sedentarismo aumentam incrivelmente a incidência de doenças (doença coronariana em 45%, infarto agudo do miocárdio em 60% , hipertensão arterial em 30%, câncer de cólon 41%, câncer de mama 31%, diabetes tipo 2 50% e osteoporose em 59%).

Além disto, a inatividade e sedentarismo estão relacionadas ao aumento da mortalidade, obesidade, maior incidência de queda e debilidade física em idosos, dislipidemia, depressão, ansiedade e alterações do humor.

E atenção, isto não ocorre apenas em adultos e idosos. Em crianças e adolescentes o sedentarismo é também considerado o PRINCIPAL fator responsável pelo aumento na incidência de obesidade juvenil, sendo um agravante importante no estado geral de saúde em crianças e adolescentes levando a doenças cardiovasculares, renais endócrinas, neuromusculares e osteoarticulares.

Sem sombra de duvida o sedentarismo é um dos maiores problemas de saúde publica hoje, especialmente quando sabemos que 70% da população adulta não atinge os níveis mínimos recomendados de atividade física que são:

  • Exercícios aeróbicos: caminhada, corrida, ciclismo, natação

    * mínimo de 150 min por semana;

    * intensidade moderada a alta;

    * moderado de 30 a 60min/dia ou intensa 20a 30min/dia.

  • Exercícios de força

    * mínimo de 2 sessões/semana;

    * intensidade moderada a alta.

  • Exercícios de flexibilidade/alongamento

    * mínimo de 2 vezes/semana;

    * intensidade moderada.

Para enfrentar este quadro altamente desfavorável, varias entidades e colegiados internacionais e nacionais como a Associação americana de cardiologia, Associação europeia de cardiologia, Colégio americano de medicina do esporte, SBMEE, iniciaram uma campanha defendendo e divulgando o exercício como um “remédio” através do lema "exercise is medicine”.

O exercício físico tem uma ação terapêutica sobre o corpo que é única. Ele somente não age sobre o os órgãos sensoriais, ou pelo menos AINDA não foi detectada esta ação até o momento. TODOS os outros sistemas do corpo humano SÃO BENEFICIADOS pela prática regular do exercício físico.

Vamos citar rapidamente os efeitos do exercício nos diversos sistemas:

  • Sistema cardiovascular

    * não só o exercício “crônico”, mas apenas uma sessão de exercício faz com que a pressão arteriol (PA) diminua, efeito este que pode persistir por 12 a 16hrs;

    * a prática regular de exercício faz com que a melhora da PA seja constante pois melhora a resistência à insulina, melhora no perfil lipídico e da composição corporal;

    * redução da frequêcia cardíaca (FC) de repouso e submáxima;

    * elevação da potencia aeróbica e da tolerância ao esforço;

    * redução da sensação de fadiga.

    Concluindo: os exercícios físicos para o cardiopata melhoram de forma segura a capacidade aeróbica, a função cardiovascular e a qualidade de vida.

  • Sistema endócrino/metabólico

    * dislipidemia - reduz os triglicérideos e o colesterol ruim e aumenta o colesterol bom;

    * obesidade - sempre deve ser aliada a dieta e se necessário tratamento medicamentoso. O exercício deverá ser feito com atividade aeróbica pelo menos 3x por semana e exercícios de musculação visando melhorar a massa magra e aumento da taxa metabólica basal;

    * diabetes tipo2 - o exercício faz com que se melhore a sensibilidade e do quadro da diabetes.

  • Sistema pulmonar

    O exercício traz inúmeros benefícios para os doentes pulmonares e isto porque promove:

    * melhora da composição corporal com aumento da massa magra;

    * melhora da circulação muscular;

    * melhora da capacidade metabólica;

    * diminuição nos estados inflamatórios.

    Os exercícios devem ser aeróbicos e de força combinados.

  • Ginecologia

    * exercícios tem sido recomendados para aliviar os sintomas da TPM, sendo que neste caso os estudos sugerem exercícios aeróbicos moderados por pelo menos 30 min 5 vezes/semana combinados com exercícios de musculação desencadeiam uma ativação das endorfinas, melhorando o humor; além de melhorar a circulação sanguínea que leva a uma melhor eliminação de resíduos catabólicos e líquidos acumulados;

    * desde a década de 80 os exercícios passaram a ser indicados em gestações normais pois eles promovem:

    • Redução e prevenção de lombalgias fortalecendo os grupos musculares responsáveis pela postura;

    • Diminuição da gordura e melhora no controle do peso;

    • Controle da pressão arterial;

    • Diminuição do edema;

    • Melhora da autoimagem, ansiedade bem estar e humor;

    • Prevenir problemas circulatórios, musculoesqueléticos e fadiga;

    • Melhorar o sistema respiratório promovendo uma melhor oxigenação;

    • Facilitar a recuperação pós-parto.

    Além de manter/melhorar a aptidão física da mulher durante a gravidez.

  • Psiquiatria

    Uma das características da depressão é a diminuição da massa corpórea, especialmente as custas de massa magra e óssea causada pela inatividade. Os benefícios do exercício são:

    • Melhora no condicionamento físico;

    • Diminuição da perda de massa óssea e magra;

    • Aumento da força, coordenação e equilíbrio;

    • Redução da incapacidade funcional, da intensidade dos pensamentos negativos e das doenças físicas;

    • Melhora do bem-estar e do humor.

    Existem muito poucos estudos em relação ao exercício e Alzheimer, no entanto de 8 estudos recentes, 7 mostraram melhora da cognição nestes pacientes. Ainda são inconclusivos, porém podem melhorar outros efeitos da doença como a dificuldade para caminhar.

  • Sistema neurológico

    * O exercício físico eleva os níveis de dopamina podendo ser benéfico para os pacientes com doença de Parkinson, melhorando a velocidade da caminhada, bem como melhora da flexibilidade, força e redução das quedas.

    * Uma revisão de toda literatura médica feita em 1999 mostra que o exercício físico leva a uma redução no risco de AVC, sendo que a atividade moderada leva a uma redução significativa deste risco.

  • Sistema osteoarticular/muscular

    Embora os efeitos benéficos dos exercícios se estendam a quase todas as doenças osteoarticulares, vou citar as mais frequentes:

    • Artrose – o exercício é o meio não medicamentoso mais eficaz no tratamento da artrose, e os exercícios mais adequados são os exercícios de musculação terapêutica que estabilizam ou reduzem a carga das articulações acometidas;

    • Osteoporose – o exercício é fundamental e aqui se destaca o papel de prevenção do exercício, que deve começar na infância com o intuito de formar uma massa óssea de boa qualidade e tamanho. Mas uma vez instalada o osteoporose, o exercício deve ser feito com impacto, embora os exercícios de força também sejam importantes. Os estudos mais atuais demonstram que os exercícios de musculação formam uma massa óssea de grande qualidade pelas ações mecânicas que promovem;

    • Fibromialgia – os exercícios devem ser muito bem dosados e feitos na fase em que ocorre uma diminuição da dor e contraturas. Nos últimos 10 anos os exercícios tem sido prescritos com bons resultados, devendo sempre ter um acompanhamento e uma troca constante entre médico terapeuta e cliente. A associação de exercícios e relaxamento tem se mostrado muito importante.

  • Câncer

    Os estudos relacionando câncer e exercícios físicos são cada vez mais numerosos e promissores, embora a maioria deles esteja direcionado ao câncer de cólon e mama.

    E eles mostram que a atividade física é uma forma IMPORTANTE de prevenção do câncer.

    Alguns dados: homens fisicamente ativos tem 30 a 40% menos risco de câncer de cólon.

    Mulheres fisicamente ativas tem 20 a 30% menos risco de câncer de mama.

    Além disto, no TRATAMENTO do câncer o exercício entra como uma medida auxiliar importante, melhorando a perda de massa muscular, diminuição da fadiga que ocorre com a quimioterapia

    A American Cancer Society recomenda 30 a 60min de exercícios moderados a vigorosos 5vezes/semana para reduzir o risco de câncer, doenças cardiovasculares e diabetes.


Obviamente ainda existe muito a ser estudado e apreendido, no entanto a mudança de parâmetros nos últimos 40 anos é evidente. Os mais velhos sabem e viram nas suas infâncias e juventudes pessoas doentes sendo cercadas de cuidados entre eles: o REPOUSO. É claro que o repouso é importante. No entanto o REPOUSO ABSOLUTO que a quase totalidade das doenças prescrevia mudou, e mudou radicalmente!

Hoje e tenho absoluta certeza de que cada vez mais se compreenderá e se colocará em pratica o lema:

Exercise is medicine

Exercício é remédio

E por ser uma medicação procure o seu médico para que ele possa prescrevê-lo de forma adequada as SUAS necessidades e capacidades.

E procure um lugar adequado para executá-lo com a máxima eficiência e segurança!

Fonte: Instituto Bios(http://www.institutobios.com/filosofia-bios/exercicio-e-remedio).

Copyright 2012. Bem Pilates Studio.